Trégua na batalha

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

2013 já é passado e 2014 uma realidade gritante na minha cara. Já virei o ano cheia de contas para pagar. 

Os últimos anos eu vivi numa verdadeira roda gigante. Estava por cima, estava por baixo, por cima, por baixo, nunca parando no meio, nem por alguns segundos. 
Essa loucura toda começou em Outubro de 2011, quando eu descobri que no fundo do poço havia um fundo falso e eu desci mais um pouco. Passei por privações e provações que nunca imaginei passar. Cansei. Descobri meu limite, fui além dele. Me esgotei física e psicologicamente. Pensei em desistir de tudo. Fui covarde. Deixei de remar e esperei a maré me levar. 
Dezembro de 2011 e finalmente um luz, mesmo que fraca, no fim do túnel. Pude respirar um pouco mais e ganhar fôlego para enfrentar aquele que seria o meu pior começo de ano. 2012 começou com tudo me puxando para baixo. Fiz o que pude e o que não pude para continuar vivendo. Inúmeras vezes pensei ser impossível continuar. Deixei passar, embora sem perceber, oportunidades maravilhosas. Sofri. Me isolei, me afastei dos amigos e da família. Batalhei meu espaço, mas só consegui um cantinho no final do beco escuro.
Junho de 2012 e tudo começou a melhorar consideravelmente. Novo ânimo, nova energia, mais expectativas, sonhos, desejos..voltei a viver e não mais sobreviver. Exatamente um ano depois, olha a vida tentando me jogar na lama de novo. O bom de passar muito tempo na lama é que você aprende a como sair dela com mais facilidade. Perdi o rebolado algumas vezes, mas não perdi o salto. Chorei noites infinitas e me questionei por que aquilo estava acontecendo comigo. Não entendia como as coisas sempre davam errado, apesar do meu esforço e entrega para que dessem certo. Deixei de questionar e de pensar. Segui o fluxo.
Dezembro de 2013 e a vida começou a me oferecer seu sorriso, embora tímido, mas já era grande coisa para quem só conheceu o choro. Resolvi sorrir de volta e abrir os braços, oferecendo meu colo.

Na virada do ano, abraçada a uma pessoa importante, além dos pedidos tradicionais de saúde, amor, paz, dinheiro e etc, o que eu pedi com muito fervor foi para perceber as oportunidades que a vida me apresenta, mesmo em forma de enigma. Perceber e agarrar com todas as minhas forças, porque só assim, não deixando as oportunidades irem embora, é que eu vou achar o caminho que quero trilhar.
Estou cansada de brigar com o mundo, com a vida.
Em 2014 eu só quero não travar tantas batalhas (internas e externas). Ter um pouco mais de tranquilidade e dormir, ao menos algumas noites, sem pensar em como solucionar problemas ao amanhecer. 

Vem ni mim, 2014. Sou toda sua. 



3 Contando um conto e aumentando um ponto.:

  1. Onde assina embaixo? ah, ops é aqui? Ninna Oli, ilustradora freelancer (maltratada e desdenhada por clientes que aguentou 2013 na base da porrada), mãe da anjinha mais arteira do universo, sobrevive de esperança. Pq segurança que é bom nunca ouviu falar... Olha, vou te falar, tá difícil, mas a gente vai levando, vai seguindo! Oq me ajudou mtooo foi seguir mais minha intuição do que minha mente. =) Um bom ano pra nós! Força na peruca!! beijoooo

    ResponderExcluir
  2. É assim mesmo, mas assim como eu creio, vc também deve crer que 2014 vai ser um ano bom, afinal de contas energias e pensamentos positivos atraem coisas positivas! Sejamos positivos então! :D

    Feliz 2014, e obrigada pela visita! ;*

    ResponderExcluir
  3. Torço para que você consiga ter essa sabedoria, de conseguir enxergar as possibilidades que passam todos os dias na nossa frente - e que na maioria das vezes a gente deixa passar por distração ou descuido... Um 2014 maravilhoso pra você!!!

    ResponderExcluir







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!