Indo para a luz

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Quando você pensa que já superou aquela fase punk da sua vida e que os dias de privações ficaram para trás, vem a vida e ri da sua cara, dizendo que a quizumba ainda está ali, esperando apenas uma brecha.
Então que na Terça-feira eu chego em casa após um dia estupidamente cansativo, mas tão cansativo que nem tempo tive para entrar no Blog, e isso é uma coisa que eu faço diariamente, de hora em hora, se duvidar. Chego implorando por um banho/cama, passo a mão no interruptor e..NADA.
CADÊ A LUZ?
Achei que fosse queda de energia, mas veja, eu havia acabado de subir de elevador, a luz do lado de fora estava acesa, logo, havia algo errado. Foi então que tropecei em uma cartinha branca, endereçada a minha pessoa.
Abri e vi que a carta era da Companhia de Energia elétrica, informando a suspensão dos serviços por falta de pagamento. Oi?? Como assim??
Sim, houve um tempo em que era super normal, diria necessário, o atraso de contas. Era um tempo ruim, de vacas anoréxicas e morrendo por inanição, em que eu era obrigada a atrasar as contas todos os meses. Eu pagava um mês e devia o próximo. Sempre assim. Não por opção, mas por questão de sobrevivência.

Mas, neste caso, eu sabia que havia um equivoco, até porque, a conta em questão foi uma conta com vencimento no mês 06. E o mês 06 foi justamente quando eu fui demitida. Como eu não sabia quando arrumaria outro emprego, aproveitei a grana da rescisão e do FGTS para pagar as contas em atraso e negociar os débitos gigantes. Eu tinha certeza que essa conta estava paga e em algum lugar. Foi aí que veio o lampejo: eu paguei todas contas através do débito automático. Era só acessar o banco e imprimir o comprovante. Foi o que eu fiz. Imprimi, mandei via fax e solicitei o religamento o quanto antes. A mocinha do outro lado da linha me deu o prazo de oito horas para ligarem a luz. Argumentei que precisava que ligassem logo, pois eu tinha muita coisa na geladeira que acabaria estragando, mas ela foi irredutível. Como eu já trabalhei em Call Center e sei que não adianta gritar, berrar, esbravejar com a atendente, eu agradeci o atendimento e fui direto ao PROCON. 

Eu nem sabia, mas descobri que a luz só pode ser cortada em caso de débito superior a 30 dias e após três tentativas de comunicação com o morador, coisa que não aconteceu comigo. A única coisa que recebi foi a cartinha já com a luz cortada.
Agora estou aqui, já planejando o que farei com a grana do processo. Aceito sugestões. 




3 Contando um conto e aumentando um ponto.:

  1. Ahhhhh.... que absurdo essas coisas que as empresas fazem com os consumidores. O que vc vai fazer com o dinheiro eu não sei, mas aproveita para tirar muito dinheiro desse povo que acha que a gente é besta. Nossa... que raiva! Bjo
    Raquel
    www.eudonadecasa.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olha aproveite o que puder e guarde! Para não ter mais dores de cabeça desse tipo né ? Muito complicadas essas coisas e quando se trata de poder publico mais aainda porque é uma enrolada só; Boa sorte! beijos
    www.yarasousa.com

    ResponderExcluir
  3. Um absurdo, né? Infelizmente no Brasil o setor de serviços ainda é muito ruim e não tem o menor controle, as empresas simplesmente fazem o que querem e fica por isso mesmo... Temos mesmo que brigar pelos nossos direitos! Boa sorte, gata, não deixa barato não!
    Beijos,
    Garota Carioca

    ResponderExcluir







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!