Você percebe

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Que a vida é uma piada e começa a rir dela quando acorda atrasada para o trabalho e come apenas uma maçã para enfrentar uma jornada de seis horas pegando no batente. Dessas seis horas, tenho apenas um intervalo de 20 minutos para o lanche (Sim, eu consigo comer em 20 minutos, Brazeel). Só que justamente no dia que comi apenas uma maçã, uma amiga disse que tinha um bapho para me contar no intervalo. Como curiosidade é o meu nome do meio, eu joguei o intervalo para cima e fui tomar conhecimento da vida alheia.


Faltando apenas 30 minutos para ir embora, uma colega teve um problema familiar e o chefe me escolheu para cumprir as duas horas restantes para acabar o turno dela. Ou seja, a fome que já dava sinais grotesco, agora, iniciava uma batalha épica dentro de mim.


Após terminar o meu turno e o da amiga, bati em disparada para pegar o ônibus, passar no mercado, fazer as compras e de quebra, lanchar, óbvio.


O problema é que você traça os planos, mas a vida se encarrega de fazê-los acontecer ou não. 


Peguei o ônibus sentadinha, bonitinha e comportada e...um acidente de trânsito engarrafou tudo por quase QUATRO HORAS.


De repente, comecei a suar, ficar pálida, trêmula e não conseguia mais coordenar as ideias. Era a tal Hipoglicemia gritando: Ei, estou aqui. Quem mandou me ignorar?


Só lembro da senhora sentada ao meu lado perguntando se estava tudo bem e quando ela começou a gritar: A MENINA ESTÁ PASSANDO MAL, GENTE. SOCORRE AQUI!
Lembro também de um círculo de pessoas em volta de mim, de alguém abanando meu rosto com um classificador e lembro de ter dito: é fome. Não comi nada hoje. 
Alguém arrumou um vendedor ambulante, comprou uns chocolates, uns doces, enfiou minha goela abaixo e lentamente eu fui voltando ao normal. Tão lentamente que quase me fez morrer de vergonha por estar naquela situação, digamos, delicada.
Não sinto vergonha por ter passado mal, porque isso pode acontecer com qualquer um. Sinto vergonha pelo bafafá que se deu no ônibus e por todo mundo saber que foi por FOME. 


Passada em Cristo e na farofa de dendê. =O



1 Contando um conto e aumentando um ponto.:

  1. Por isso nos meus tempos de faculdade hardcore eu sempre tinha bananadas, balas, biscoitos na minha bolsa..era tão corrido o trabalho e faculdade na sequência, que diversas vezes me sentia tonta e 'ops! to há 6 horas sem comer, deve ser isso!' rsrs!
    Bjão!

    ResponderExcluir







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!